Esporte & Cia

Tuesday, Sep 29th

Last update:10:04:28 PM GMT

You are here:

Wellington Cirino atrás do penta da Fórmula Truck

E-mail Imprimir PDF

Com quatro títulos no currículo da Fórmula Truck, Wellington Cirino, além de ser um dos maiores ganhadores com 25 vitórias e liderar o ranking com 29 poles positions, também é um dos pilotos com maior número de corridas na história da mais popular categoria do automobilismo da América do Sul. Neste 21º ano da F Truck, Cirino só ficou fora na primeira temporada, em 1996. De lá para cá, foram somente seis corridas ausente, três em 2011, quando esperou a montagem do caminhão Mercedes-Benz e ainda assim foi campeão, e outras três quando sofreu um acidente em 2005.

Mas não estão somente nos números as esperanças de mais um título de Cirino, que em 2015 ganhou uma corrida e terminou o ano na sétima posição. Ele acredita que com a reestruturação da equipe da ABF Mercedes-Benz a situação vai melhorar bastante.

``Estou muito contente por a Mercedes-Benz ter continuado com a gente por mais um ano e agora é tentar seguir os passos do Paulo Salustiano, que foi vice-campeão em 2015 e fez um excelente campeonato. O objetivo é chegar à decisão com os dois caminhões brigando pelo título. Nossa dupla é bem forte``, disse Cirino.

Um dos pilotos a ser batido nesta temporada, que começa no dia 13 de março em Santa Cruz do Sul, Rio Grande do Sul, é justamente o tricampeão Leandro Totti. No entanto, Cirino garante que mais seis ou sete pilotos estarão na briga direta pelo título de 2016.

``Tem o Felipe Giaffone, que é um piloto muito forte, além, claro, do Totti, do Salu, e eu, que podem ter certeza, vou disputar este título, que será um dos mais disputados dos últimos tempos``.

Para isso Wellington Cirino espera ter maior regularidade do que no ano passado, quando enfrentou dificuldades para terminar algumas corridas.

``Das dez fiz somente três boas. A da vitória em Guaporé, a do segundo lugar na abertura do ano em Caruaru, e a de Cascavel. Esta reestruturação na equipe me empolga demais e vamos buscar ter mais constância neste ano. Com o regulamento atual, o caminhão precisa ser confiável para terminar as duas fases da etapa e marcar o maior número possível de pontos. A corrida é vencida na oficina. Na pista são meros detalhes de acerto``, diz Cirino.

Pré-calendário de 2016 *

13 de março - Santa Cruz do Sul (RS)
10 de abril - Curitiba (PR)
15 de maio - Campo Grande (MS) ou Brasília (DF)
12 de junho - Goiânia (GO)
10 de julho - Londrina (PR)
31 de julho - Interlagos (SP)
4 de setembro - Guaporé (RS)
9 de outubro - Cascavel (PR)
6 de novembro - Brasília (DF) ou Campo Grande (MS)
4 de dezembro - Curvelo (MG)

* Sujeito a alterações