Esporte & Cia

Wednesday, Jan 17th

Last update:11:44:42 PM GMT

You are here:

Os números que podem apontar vitória de Serra

E-mail Imprimir PDF

Na minha última coluna (CLIQUE AQUI E VEJA!), comentei sobre a numerologia de Dilma Roussef, José Serra e Marina Silva, mostrando que realmente parece que o destino quis assim: que Marina  estivesse entre os dois.

Hoje vamos analisar melhor estes números e quero também fazer aqui uma espécie de “previsão”, ou, previsão de fato sobre o resultado final das eleições do próximo dia 31 de outubro.

Já pensou se eu acerto? Bem, vamos lá...

Serra - Nasceu em 19/03/1942 - 68 anos de idade
Dilma - Nasceu em 14/12/1947 - 62 anos de idade
Marina Silva - Nasceu em 08/02/1958 - 52 anos de idade

Somando-se os números da data de nascimento deles, teremos:

Somatória 1:
Serra - 1+9+0+3+1+9+4+2 = 29 = 2+9 = 11
Dilma - 1+4+1+2+1+9+4+7 = 29 = 2+9= 11
Marina - 0+8+0+2+1+9+5+8 = 33 = 3+3 = 6

Agora, some-se as idades dos candidatos aos seus números reais.

Somatória 2:
Serra - 68 + 11 = 79 à 7+9 = 16 = 7
Dilma - 62 + 11 = 73 à 7+3 = 10 = 1
Marina - 52 + 6 = 58 à 5+8 = 13 = 4

Análise da Somatória 2:
Veja que o resultado 16 para Serra, vai levá-lo ao décimo-sexto dia da espera pela decisão de Marina. Não deu no dia 17 quando ela prometeu anunciar a quem daria apoio. Isto seria o prenúncio de que Marina não apoiaria Serra no segundo turno. O 10 de Dilma significaria que já no dia 10 de outubro (10/10/2010), ela saberá por alguma fonte, portanto, sete dias antes do anúncio do dia 17, que será apoiada por Marina (Note que Serra é 7 na somatória 16... 1+6 = 7). Assim sendo, devemos ficar atentos em Dilma no debate da TV BAND que será exatamente no dia 10. Fique atento à sua postura no debate. Provavelmente estará imbuída de uma aparência muito otimista e de vencedora convicta, enquanto que Serra poderá estar ou ficar bem abatido na TV, talvez com um rendimento muito ruim e o pior, ainda sem saber o que está acontecendo; que Marina apoiará Dilma (daí o 13 de Marina na somatória).

Por fim, some-se ainda os números dos respectivos partidos:

Somatória 3:
Serra - 68 + 11 + 45 = 124 >> 1+2+4 = 7
Dilma - 62 + 11 + 13 = 86   >> 8+6 = 14
Marina - 52 + 6 + 43 = 101 >> 1+0+1 = 2

Análise da Somatória 3: 
Observe que neste caso, o resultado 124 de Serra, pode significar que ele está em crescimento linear. Dilma no 86 demonstraria queda de popularidade provavelmente e Marina 101 indica dúvida (Serra é um dos 1, Dilma o outro 1 e Marina é o zero no meio do 101, precisando tomar uma decisão).

AINDA:
Serra tem nas somatórias 2 e 3, o número 7. Dilma varia de 1 para 14 e 14 não é 7, embora seja dobrado, mas, lembre-se que estamos analisando o conjunto 1;14, cuja adição deste dá 15 e a subtração dá o seu próprio 13. Marina varia de 4 para 2, a adição do conjunto dá 6 e a subtração dá 5 e, nem 5, nem 2 são 7, embora os dois juntos atinjam 7. O único que tem estabilidade é Serra 7 e 7 (um número místico, considerado o número da perfeição e, ainda podemos destacar: 7 cores do espectro; 7 notas musicais; 7 mares; 7 maiores continentes; 7 dias da semana; 7 níveis de complexidade; 7 maravilhas do mundo; 7o. dia de descanso, etc...)

CONCLUSÃO FINAL:

Pelas minhas “previsões” e lembro que não sou numerólogo, mas apenas um analista a grosso modo dos números presentes, posso afirmar que:

1 - Marina Silva vai apoiar o PT de Dilma Roussef.
2 - Esta conclusão é baseada na somatória dos números. Na somatória 2, com suas idades e números reais, vê-se a pré-disposição de Marina, pelo 13 e na somatória 3, onde foi adicionado o número 43 do seu partido, indica dúvida no posicionamento 101. Este número demonstra que ela terá muita dificuldade (Serra é um dos 1, Dilma o outro 1 e Marina é o zero no meio, precisando tomar uma decisão). Em resumo, algo fará com que Marina e o seu partido escolham o 13 de Dilma, repito, por causa da pré-disposição na somatória 2. Como Serra é 7 tanto na somatória 2 como na 3, algo induzirá Marina a ter a idéia de que deve fazer aliança com quem será múltiplo dela. Assim sendo, na terceira somatória, 2(Marina) x 7(Serra) = 14 que dá em cheio no 14 da Dilma, pois Serra não é múltiplo de 2. “Precisamos estudar nossas convergências” é o que a própria candidata Marina disse ao ser interpelada a quem daria apoio. De alguma forma, para Marina Silva, Dilma será mais convergente do que Serra nesta reta final.

Mas isso não quer dizer que Dilma vencerá a eleição do dia 31 de outubro, pois na política, nem sempre aquilo que combina para os candidatos necessariamente combinará com o pensamento e sentimento geral. Assim sendo, acredito que Marina dará um tiro no próprio pé ao fazer isso.

Por quê?

Simples:
Some a data da eleição que definirá tudo e compare com os números dos candidatos:

Data da Eleição: 31/10/2010 = 3+1+1+0+2+0+1+0 = 8

Este número indica a sequência lógica da perfeição. Como Serra é 7 nas somatórias 2 e 3, só um número imediatamente posterior será permitido, pois no Universo, tudo se expande, ou seja, cresce, ficando portanto, na sequência, 7 e 8. Assim sendo, Serra sairá vencedor no segundo turno e, consequentemente, será o novo Presidente do Brasil. E o 9? O nove significa a somatória do 45 de Serra (4+5 = 9) e é o máximo entre 0 e 9, significando simplesmente o complemento do todo. Mais especificamente será: 7 de Serra, 8 da data da eleição e 9 do complemento do todo, fazendo assim, uma sequência perfeita. Bingo!

Note também outra coincidência:
Serra comandará o Brasil nos anos 2011, 2012, 2013 e 2014. O resultado da somatória de cada ano dará na sequência: 4, 5, 6 e 7. Os dois primeiros anos são o 45 do partido de Serra e o 67 significam a idade dele no ano da eleição. Ele tinha 67 anos até 18/03/2010 e completou 68 em 19/03/2010. Some novamente e verá 15 + 16 = 31 e 31 inverso é o 13 de Dilma. Ou seja, o 31 é a imagem real do 13 e o supera. E ainda, aos 67, Serra era 6 (1+5) e aos 68 virou 7 (1+6), exatamente o 7 perfeito que o persegue este ano e o faz ser mais constante, embora possa por aparência não o parecer.

Aí você vai perguntar: E se Marina resolver apoiar o Serra?
A resposta é: Não fará diferença alguma. A única mais prejudicada nesta história toda será a própria Marina e na sequência, a candidata Dilma. Os próprios números quando se inclui o partido já flagram esta verdade, no caso, o (101). O ideal para Marina Silva seria assumir o seu zero e portanto, ficar neutra. Neste caso, as chances de Dilma virar presidente podem ser mais evidentes, pois não terá a influência dos fatos advindos da parceria com Marina. Ou seja, Dilma perde se receber o apoio "não tão necessário" diante de um quadro atual já favorável e pode ganhar se não aceitar o apoio ou então se Marina ficar neutra. Mas, se Marina apoiar Serra, será apenas um reforço a mais para o candidato 45 que vencerá sem atropelos.

Será que eu estou certo? O que você acha?
De qualquer forma, conduzido ou não, os números me levaram a esta conclusão. Pode ser que você ache isso tudo a maior baboseira, mas, como um adivinhador de primeira viagem, vai que eu estou certo? Se tiver alguém que tenha outra interpretação, fique a vontade para me escrever. (CLIQUE AQUI E ESCREVA!)

Mas eu não vou ficar só por aqui. Agora vou dizer a vocês, o percentual exato de cada candidato na eleição final, no dia 31 de outubro.

Para não me estender muito, vou colocar apenas os números:

1° - José Serra (PSDB) - 53,25%
2° - Dilma Roussef  (PT) - 46,75%

Este texto é apenas um demonstrativo, sem valor científico.